domingo, setembro 06, 2009

Curtas PT @ MOTELx 2009 (parte III)


Último dia dos compactos de curtas MOTELx; um dia para o melhor e para o pior.

As particularidades de Vídeo Recebido, de Adriano Mendes, podiam ter ajudado a criar uma curta original e interessante. Depressa mostrou que afinal não, era só impressão!

Homem Violento, de Pedro Florêncio, acaba por conseguir manter-se consistente quase até ao final, mesmo tratando-se de uma violência aparentemente sem sentido. A conclusão, desconstrutora, infelizmente não mantém o mesmo nível.

Em Sangue Frio, de Patrick Mendes, as escolhas narrativas acabaram por limitar uma curta com potencialidade para uma maior qualidade. Tendo o realizador assinado também o argumento, é uma pena ver uma boa ideia sair assim um pouco desperdiçada. Fica a noção clara que se podia ter saido melhor!

Reborn, de António Pascoalinho, deixou um sabor a pouco na boca. A história tornou-se envolvente, e muito do mistério manteve-se inexplicado. Exige-se uma sequela! Apenas o plano final pareceu supérfluo, não transmitindo qualquer sentido.

E a última curta exibida, Papá Wrestling, de Fernando Alle, encerrou da melhor maneira esta iniciativa do MOTELx. Com o seu delicioso ar campy, esta história de violência juvenil soube dosear bem o humor, os efeitos especiais, e a acção. Um delírio!

Resta-me dar os parabéns à organização do MOTELx pelo claro sucesso desta iniciativa, maior ainda sabendo que várias das curtas tiveram o festival de terror de Lisboa como fenómeno indutor. Aposta ganha!
Quanto às curtas em si, e não sabendo ainda qual terá sido a escolha do júri, destaco três (coincidentemente uma de cada dia): F.R.U.N.C., pela sua eficácia sintética; No Silêncio, pela intensidade transmitida; e Papá Wrestling, pelo seu humor dinâmico.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home