quarta-feira, dezembro 20, 2006

Os Adultos e a Fantasia

Quem melhor para discorrer sobre esta questão do que a autora norte-americana* Ursula K. LeGuin? Afinal, qual o papel da Fantasia no conjunto da Literatura e qual a razão pela qual tanta gente abandona este género literário na infância/juventude?
É sobre estes temas que trata o artigo "Imaginary Friends", publicado recentemente na revista New Statesman e disponível online.

*Nota: Cada vez que emprego este termo, lembro-me dos "pobres" canadianos, metidos no mesmo saco. Inteligentes foram os brasileiros, onde Ursula LeGuin é uma autora... estadunidense!

1 Comments:

At 1/03/2007 5:49 da tarde, Blogger MACP said...

A fantasia é deveras bastante importante ao adulto e não só á criança. A evolução da humanidade teve inicio quando um primata passou para lá da realidade e imaginou o que não existia visualmente, abrindo a porta que faltava para o desenvolvimento do Homem. O problema está no facto de o cérebro humano ser mais permeável a coisas novas e diferentes até ao final da adolescência, juntando ao facto que o tempo livre para o cérebro "viajar" é muito maior até essa altura... depois vem o trabalho fixo e exigente, vida a 2 com tudo o que acarreta e filhos o que consome tempo e disponibilidade. A sociedade não ajuda assim já que quem deixa de "sonhar" no fundo inveja quem sonha e portanto penaliza. Nem sempre a culpa morre sozinha e portanto como a grande maioria dos leitores de fantasia são crianças/adolescentes, a escrita é pensada nestes mesmos e portanto não apetecível aos adultos. Há excepções como por exemplo Jonathan Strange and Mr Norrell bor Susanna Clarke.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home